A AMEAÇA DOS ARRASTÕES
   Flávio  Saraiva  │     21 de setembro de 2015   │     21:49  │  3

ARRASTOESAs imagens de arrastões nas praias do Rio de Janeiro apresentadas no noticiário nacional e internacional, mostrando bandos de jovens atacando indefesos frequentadores – principalmente turistas desavisados, provocou sentimentos de indignação, temor, desespero e muitas indagações sobre o futuro do país.

O secretário de Segurança José Mariano Beltrame disse que outros órgãos públicos precisam dividir responsabilidades nos deveres de cuidados com os menores que saem de suas casas apenas com a vontade de delinquir – sem documentos, sem dinheiro e nenhuma responsabilidade dos pais.

José Mariano teme que a população reaja fazendo justiça com as próprias mãos praticando linchamentos, maximizando o problema.

Os arrastões estavam sendo combatidos com abordagens policiais aos ônibus que se destinavam às praias, identificando os menores desacompanhados, sem documentos e sem dinheiro, seguidas do recolhimento e chamamento dos pais ou responsáveis. Esse trabalho preventivo motivou ação da Defensoria Pública do Estado contrária à sua continuidade, ensejando medida judicial proibindo que policiais apreendessem menores sem os pressupostos legitimadores do auto de apreensão em flagrante; nada mais óbvio.

O que fazer agora? Quem vai proteger os indefesos cidadãos que se dirigem às praias cariocas? Não importa o meio de transporte escolhido; ciclistas são atacados a facadas; nos ônibus, as janelas de emergência são usadas para a fuga dos bandos carregando objetos roubados dos passageiros; caminhando, só de sunga ou trajes mínimos de banho que indiquem a inexistência de pertences de valor. Vamos esperar que a Defensoria Pública promova ações que protejam essa massa indefesa.

Aqui em Maceió, bandos de jovens delinquentes conseguiram diminuir o tempo de recreação das famílias na área fechada da Praia de Ponta Verde em duas horas, decisão colegiada dos órgãos de segurança ainda em período de avaliação, mas que sugere esgotamento das polícias nesse protagonismo isolado no combate inglório.

Tags:, , ,

>Link  

COMENTÁRIOS
3

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Souza

    Caro Dr. Flávio Saraiva, diminuir o tempo de recreação das famílias na área fechada da Praia de Ponta Verde em duas horas pelos motivos alegados, pra mim é um atestado de incompetência assinado pelos órgãos responsáveis pela nossa segurança pública. Custo acreditar que o excelentíssimo governador Renan Filho tenha concordado com essa orientação do Conselho Estadual de Segurança Pública, que pra mim é ilegitimo e pra nada serve, a não ser para premiar alguns conselheiros com mordomias e salários, dinheiro que poderia ser gasto na própria segurança pública, através da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Pericia Oficial, Polícia Civil e demais órgãos da Segurança Pública.

    Reply
  2. nelson

    ontem os telejornais brasileiros mostraram um refugiado haitiano mais quebrado que arroz de terceira e dizendo, quero voltar pra o meu país, brasil nunca mais. diante de uma cena dessa aonde o cara prefere voltar pra o haiti um dos paises mais mizeraveis do mundo porque lá ele se sente mais seguro que aqui, nâo resta mais nada a ser discutido nesse lixo de país. é hora de devolver o brasil para os indios e pedir desculpas pelo erro na construçâo dessa porcaria. fico as veses paralisado quando vêjo certos canais de TV as vesperas de mais um carnaval ficar falando das maravilhas desse país para o mundo. sinceramente devo entâo estar morando em outro país e nâo no maravilhoso brasil do carnaval, do futebol, das novelas, do domingâo do faustâo, do alta horas, do corinthians, do flamengo, da ivete, do bel, da preta gil, da filha ou filho da gretchem etc etc. tá mais facil o iran desistir de fazer a bomba atomica para dizimar israel, duque agente ter paz nas ruas do brasil.

    Reply
  3. Roberto Theodosio Brandão

    Em comentários anteriores fiz uma previsão futura para o comportamento humano nas grandes, médias e pequenas cidades brasileiras. Existe um predisposição para a rebeldia, anarquia e terrorismo urbano.
    Com as últimas notícias de um Estado brasileiro falido, sem moral alguma e sem autoridade o povo vai partir para o vale-tudo sem lei. Não vai demorar e nós não vamos mais poder sair ás ruas e isto vai virar uma Síria com um Estado Islâmico dominando a tudo e a todos. O nosso Estado Islâmico seriam os movimentos sociais, MST, MTST e os traficantes que são o nosso Estado Paralelo. Estamos perdidos e “arrastões” não metem mais medo. A revolta será por conta tambem do mau exemplo dos nossos dirigentes. O atual Governo não vai sair do comando sem mais nem menos.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *