A INTEGRAÇAO QUE DEU CERTO
   Flávio  Saraiva  │     7 de setembro de 2014   │     10:27  │  7

OPLITA Gazeta de Alagoas traz matéria do competente Maurício Gonçalves sobre a Operação Litorânea (OPLIT), desenvolvida pelas polícias civil e militar, mais a guarda municipal de Maceió.

Surgida no ano 2000, conforme a denominação, a operação tinha como base a faixa litorânea de Maceió, principal destino dos nossos visitantes, recebendo efetivo apoio das entidades de classe relacionadas ao negócio turismo, importante atividade econômica no Estado.

Os policiais receberam uniforme diferenciado dos demais – terno e gravata; alvo de críticas, incluídas as minhas, que apontavam as possíveis restrições de mobilidade, calor e a incoerência com a ostensividade das viaturas. Depois fui convencido de que a indumentária contribui para a ocultação da arma, autoestima e surpreendente atitude de respeito do cidadão abordado, comportamento que ameniza reações descabidas.

Apresentando bons resultados, a primeira experiência se estendera para a área lagunar, pulverizando meios e maximizando limitações que, possivelmente, contribuíram para seu fim em 2010.

Em 21/03/14 a OPLIT, sob o comando do policial Fábio Esperon,  ressurgira em formato ampliado com a participação da guarda civil de Maceió, efetivo de 53 homens e 02 viaturas, mesmo uniforme e com foco na área litorânea. Estão em andamento tratativas para a inclusão de bombeiros, expandindo a atuação para demandas específicas desses profissionais, principalmente, o atendimento pré-hospitalar.

 A integração policial que ocorre na OPLIT está dando certo, diferente da que fora implantada pelo então secretário de defesa social Dário César, com a divisão do Estado em regiões e áreas integradas de segurança pública – RISP e AISP; empurrada de “goela abaixo” nas corporações, sem discussão nas bases, talvez por isso, jocosamente, denominadas de RISQUE E ARRISQUE. Uma boa ideia que se perdeu na condução, mesmo com gastos relevantes na contratação de renomada empresa de consultoria.

A integração policial efetivada na OPLIT é objeto da tese de doutorado do coordenador Fábio Esperon, desenvolvida na Universidade de Moron/ Argentina. Humilde, creditando o sucesso da operação ao empenho e dedicação de sua equipe de trabalho, o doutorando acredita que a experiência pode ser reproduzida em outros centros urbanos do Estado, desde que acompanhada de investimentos na mesma proporção.

Os nobres sentimentos da equipe de trabalho da OPLIT podem ser mutilados pela falta de incentivos, que passam por gratificação salarial, uniforme, efetivo e equipamentos. Conforme a matéria, os “homens de preto” correm o risco de perder o uniforme e o teto, container locado pela iniciativa privada que serve de base operacional.

Tags:, , ,

>Link  

COMENTÁRIOS
7

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Capitão PM

    Tenho certeza do sucesso e parabenizo a Oplit, no entanto o principal motivo da êxito não tenha sido dito; A Oplit faz um ciclo completo de polícia, a parte ostensiva e a parte judiciária com a autuação, tal qual é feito lá fora. Tenha certeza que no dia que as policias militares e guardas fizerem um ciclo completo será do mesmo jeito, sem qualquer sombra de dúvida, afinal, o que a oplit faz é o ideal, TUDO! Obrigado!

    Reply
  2. Lucimério

    Parabéns aos profissionais da OPLIT. Ainda acho que a indumentária adequada seria camisa polo e calça, padronizadas. A qualidade da abordagem e a capacitação dos policiais são suficientes para garantir respeito. De qualquer sorte, o trabalho desempenhado por essa força integrada salta aos olhos. A grande integração, pano de fundo das RISP/AISP, não tem funcionado. Sobram as extensas áreas delimitadas para cada AISP, que não conseguimos vencer com pequeno efetivo e pouca estrutura.
    Na verdade, a integração entre as forças policiais é um caminho sem volta. Se quisermos ser combativos contra a violência, temos de realizar mais ações conjuntas. Precisamos romper as barreiras que limitam a integração PC/PM.

    Reply
  3. FÁBIO

    A OPLIT é mais uma ação tomada com fins eleitorais, recriada pelo ex-secretário E.TAVARES para dar mídia para sua candidatura cometa que de tão ridícula acabou rápido . Em Maceió terceira cidade onde mais se mata no mundo é impensável que desperdicemos recursos humanos desta forma. Os policiais da OPLIT deveriam estar investigando homicídios nos bairros mais violentos da capital . A gestão da segurança pública de Alagoas é uma tragédia

    Reply
  4. carlos

    OPLIT e na verdade um desvio de fun;áo onde policiais civis que deveriam estar nas delegacias trabalhando nas investigacoes e remessas de inquerios pra justica, estao fazendo policiamento ostensivo. Enquanto isso na SEDS a PM faz escuta telefonica, ou seja, trabalho de policia civil. Tudo errado…

    Reply
  5. Bruno

    Não pretendemos que as coisas mudem, se sempre fazemos o mesmo. A crise é a melhor benção que pode ocorrer com as pessoas e países, porque a crise traz progressos. A criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite escura. É na crise que nascem as invenções, os descobrimentos e as grandes estratégias. Quem supera a crise, supera a si mesmo sem ficar ‘superado’. Quem atribui à crise seus fracassos e penúrias, violenta seu próprio talento e respeita mais os problemas do que as soluções. A verdadeira crise é a crise da incompetência… Sem crise não há desafios; sem desafios, a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise não há mérito. É na crise que se aflora o melhor de cada um…

    A Sociedade vive uma crise terrível em relação à violência urbana. Maceió é, infelizmente, um ótimo exemplo disso!

    Pensamentos arcaicos não irão mudar nada! A PM nunca foi só ostensiva! A Civil nunca foi só investigativa! A união de forças é urgente e indispensável diante dessa nossa realidade atual, onde o CRIME é tão diversificado, atuante e ORGANIZADO!

    A OPLIT está de parabéns. Quem já precisou dela sabe o quão é preparada eficiente e competente, mesmo diante da falta de uma estrutura adequada.

    os que criticam, devem ser respeitados, já que opinião é de cunho pessoal. Só espero que esses, nunca precisem um dia dos serviços da OPLIT. Mas se caso acontecer tenho certeza que ela estará pronta para agir.

    Obrigado OPLT!!

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *