CICLO DA IMPUNIDADE
   Flávio  Saraiva  │     10 de agosto de 2014   │     19:23  │  2

TRAGÉDIA ANUNCIADAA solução para a superlotação da Casa de Custódia da Polícia Civil aponta para a liberação de 71 dos 91 presos, selecionados e assistidos pela Defensoria Pública do Estado, segundo informou o dirigente do órgão na sexta-feira 08/08, em matéria veiculada neste portal; acrescentando que os pedidos de relaxamento de prisão, liberdade provisória, dispensa de fiança e habeas corpus foram enviados à justiça.

O Defensor Geral dissera também que os presos ali permanecem por mais tempo, consequência da demora ou indeferimento de pedidos por parte da Justiça. A autoridade cobrou medidas de governo para a criação de mais vagas no sistema penitenciário.

Voltarão às ruas os presos que cometeram crimes considerados de menor  potencial ofensivo – lesão corporal, ameaça, furto, porte e posse ilegal de arma de fogo, direção perigosa e violência doméstica. Como os índices de reincidência são altíssimos, o ciclo irá se repetir – novas prisões, encarceramento, superlotação e liberação, gerando custos do retrabalho e ameaça a vítimas e outras pessoas que porventura tenham contribuído com o trabalho policial.

A possibilidade de maximização de danos a vítimas é muito grande, lesão corporal e ameaça poderão evoluir para homicídio, os ladrões continuarão furtando, as armas de fogo serão novamente adquiridas, portadas e usadas em outros crimes. Se o crime foi praticado na ambientação doméstica, a volta do agressor para casa significa terror para companheira e filhos. É o ciclo da impunidade.

A medida legal e considerada necessária, objetiva a redução de danos a criminosos presos que voltarão às ruas; em contrapartida, contribui para o encarceramento domiciliar do cidadão pagador de impostos, por absoluta falta de segurança.

Tags:, , ,

>Link  

COMENTÁRIOS
2

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. jonas freitas

    A situação é realmente caótica… Bote absurdo nisso. chegamos realmente ao fundo do poço. O cidadão do bem, tem que procurar se defender da maneira melhor possível. Temos revogar essa lei do desarmamento e, rápido… O cidadão tem que portar armas para a sua defesa e dos seus.

    Reply
  2. Roberto Theodosio Brandão

    Os Países que adotaram o DESARMAMENTO tiveram seus índices de violência aumentados. A certeza que o bandido tem que não vai encontrar o cidadão comum armado e lógico o risco para o bandido é quase zero é um ótimo incentivo á violência. Por outro lado a melhoria nas condições de vida da população infelizmente causa também uma violência descabida. As medidas para punir o cidadão-contribuinte são drásticas e o bandido sabe disso. A maior aberração jurídica foi a promulgação da recente Constituição Brasileira elaborada por pessoas “entendidas” e altamente a favor da liberdade em excesso que 90% de DIREITOS e 10% de DEVERES. Não se podia esperar outra coisa. Agora é tarde. Nos Estados Unidos, terra dos fortes e dos bravos todos tem direito a sua arma e não é por acaso que o ex-presidente George Busch (pai) é o presidente de honra do American Rifle Club. Lá a história é outras e os bandidos estão em segundo plano e são mortos pela Lei dos bravos e corajosos. Aqui no Brasil prevalece a lei dos fracos e dos omissos e dos covardes.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *