PROFISSÃO AMEAÇADA
   Flávio  Saraiva  │     19 de maio de 2014   │     21:31  │  0

PROFISSÃO AMEAÇADANão representa nenhuma novidade a ameaça de emprego determinada pelo surgimento de tecnologias que substituem mão de obra, muitas delas visíveis no agronegócio, na construção civil, agências bancárias e, principalmente, na indústria. Lembro muito bem do momento em que apareceu o aparelho de fax, determinando o fim das entregas de malotes diários de documentos de bancos aos seus centros processamento de dados, com significativo impacto no volume de vendas de passagens aéreas e desemprego dos mensageiros.

Os exemplos são muitos, mas vamos focar na segurança que é a nossa atividade. Na XVII Feira Internacional de Segurança – EXPOSEC, realizada em São Paulo/SP, no período de 13 a 15/05/14, empresa desenvolvedora de sistemas integrados de segurança apresentou solução que amplia a atuação de trabalhadores em condomínios residenciais e até mesmo empresariais, transformando a função do porteiro.

O sistema propicia ao condômino o gerenciamento remoto do controle de acesso de pessoas às suas instalações prediais, de forma simples e segura. Funciona assim:

1 – São instalados portões com fechaduras e leitores eletrônicos no prédio;  aos condôminos, são entregues controles de acesso. Ao chegarem, aproximam o controle do leitor e, sem nenhuma interferência humana, abrem o portão. Caso haja possibilidade de ocorrência criminosa, o usuário dispõe de teclado que informa situação de pânico a uma central de monitoramento instalada em empresa especializada em segurança, que despachará patrulheiro para atendimento.

2 – Nas garagens, mesma coisa, leitores e controles instalados nos veículos, as portas se abrem sem nenhuma ação do porteiro.

3 – Nos acessos de pessoas e garagem, deverão ser instaladas calusuras que confinam o usuário entre duas portas que só abrem com o fechamento da outra, também sem interferência do porteiro.

4 – Para visitantes, é necessário que eles usem o teclado disponibilizado ao lado do portão, digitem o número do apartamento, casa ou sala comercial, sendo a ligação dirigida à mesma central de monitoramento da empresa de segurança, que atende e informa ao condômino que definirá pela autorização ou não. O usuário conta a possibilidade de ver e falar com o visitante através do telefone celular. Para tanto, as instalações prediais devem estar monitoradas por sistemas de câmeras e alarmes.

6 – Os desenvolvedores divulgam que o condomínio não precisa de internet, propaganda questionável, vez que é a empresa de segurança que a disponibiliza em formato WAN, necessário ao emprego em grandes áreas geográficas.

É prometida redução de até 50% nos gastos do condomínio com portaria, com garantia de maior eficiência do sistema de segurança, necessitando apenas de regulares manutenções no funcionamento e análise de sabotagens internas e externas que possam ocorrer.

A ameaça à profissão de porteiro pode ser convertida em oportunidade, basta dominar a tecnologia e curso específico de segurança patrimonial para não só garantir o emprego, mas transformá-la em agente de segurança.

Tags:, , , , ,

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *