JÁ NÃO BASTA ROUBAR
   Flávio  Saraiva  │     3 de janeiro de 2014   │     23:41  │  7

JÁ NÃO BASTA ROUBARNa noite de 29 de dezembro de 2013, em São Paulo/SP, uma médica de 48 anos de idade fora vítima de sequestro-relâmpago ao sair de agência bancária, onde lá sacara a quantia de R$ 1.400, no momento em que entrava no seu veículo. Rendida por um dos quatro assaltantes, recebera coronhadas de revólver na cabeça, passara para o banco de trás do carro e depois trancada no porta-malas.

De posse dos cartões de crédito da vítima, o ladrão de 23 anos de idade e foragido de uma prisão paulista, acompanhado de 03 menores infratores (não podemos chamá-los de criminosos) – 02 meninos com passagem na polícia e uma adolescente de 17 anos, seguira para as compras em lojas de shopping e supermercado, gastando R$ 24 mil. No último local de compras, despertaram a atenção de uma pessoa que ligara para a polícia, culminando com a prisão do criminoso e apreensão (também não podemos usar o termo prisão para menores) dos infratores.

O crime de sequestro-relâmpago cresce no país, muito em virtude da segurança dos criminosos, que correm menos riscos quando acompanhados de suas vítimas, principalmente quanto aos sistemas de alarmes dos veículos e deslocamento seguro para se livrar delas, já de posse dos pertences, telefones, cartões de créditos, talões de cheques e senhas. Ficar com o carro não interessa tanto, mais das vezes abandonado no mês dia e em local perto da ocorrência.

Mas os bens materiais não contentaram o instinto perverso dos jovens, também não os satisfizeram as pancadas na cabeça da médica, um deles filmara e gravara toda ocorrência criminosa, que posteriormente seria curtida pelo grupo. A polícia aproveitou melhor a gravação, formou prova contra eles.

Da ocorrência, impressiona muito a facilidade no uso dos cartões de crédito da vítima em compras de valores altos, sugerindo conivência ou discutível inocência de quem vende, a repercussão na mídia que não passara do dia seguinte e, principalmente, a violência empregada. A médica poderia ter o mesmo fim da dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, 46 anos, também em São Paulo, morta depois de ter o corpo embebido em álcool e queimado por um menor de 17 anos, dentro de seu próprio consultório, por ter apenas R$ 30 na conta bancária.

Para os jovens infratores roubar parece pouco, tem que chocar, filmar e curtir. Cadeia para eles é discussão para intelectuais.

Tags:, ,

>Link  

COMENTÁRIOS
7

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. jonas antonio de freitas

    Na verdade , esses delinquentes ,não faz esse tipo de assaltos, não mais por necessidade, sim , por querer fazer , mostrar a sociedade e a própria polícia , como a impunidade está imperando neste pais dos bananas.

    Reply
  2. Major Saraiva

    Para evitar o uso indevido de um cartão de crédito por terceiros, o usuário deve escrever na parte destinada a assinatura o seguinte: “Peça meu RG”. Ou qualquer outro documento que comprove que sou eu o dono do cartão de crédito.

    Reply
  3. LUIZ ALFREDO

    Prezado Dr Flavio,
    Hoje foram executados três menores de idade no bairro do Trapiche da Barra, tendo eles 12,14 e 16 anos. A execução conforme a matéria foi após as 00:30 horas. Será que em Alagoas só existe Justiça para internar esses menores para participarem das medidas socioeducativas quando os mesmos já não tem mais jeito ? Será que aqui não existe a lei onde menores não podem permanecer na rua desacompanhados de seus responsáveis após as 22;00 horas ? O Judiciário através do Juizado da Infância e Juventude não poderia cobrar a aplicação dessa lei como uma medida protetiva ?
    Tá na hora de começar a responsabilizar os pais, pois procriar é fácil mas educar e fazer gente fica a cada dia mais difícil .Depois não adianta ficar chorando o leite derramado pois estamos sendo coniventes com a criação de uma safra de “CRIONÇAS”(intocáveis), sem temor e respeito algum pela vida dos seres humanos.

    Reply
  4. ALAGOANO

    Essa juventude infratora não se contenta com o roubo, eles tem que torturar suas vítimas e contarem com a compreensão da sociedade civil desorganizada através da comissão de direitos humanos e até a OAB, que não aceita ver jovens trabalhando sob desculpa de erradicar o trabalho infantil.Mais esdruxulo ainda é ver policiais altamente treinados descendo as grotas super equipados arriscando a vida e trazendo “apreendidos” menores infratores que sonham um dia puxarem cadeia já que passam no máximo 3 anos internos e serem futuros aspirantes de presidiário sendo temidos e respeitados como matadores de poliça.Porém vivemos num país abençoado por DEUS e não esqueçamos este ano tem copa do mundo e A TAÇA DO MUNDO É NOSSA (muito obrigado PT).

    Reply
  5. Lucimerio Barros Campos

    Feliz 2014, Saraiva!! As ocorrências criminosas com envolvimento de menores só fazem crescer. Muitas famílias não tem tomado para si a responsabilidade de educar seus filhos (a segurança pública e direito e RESPONSABILIDADE de todos, cf. art. 144 da CF/88), deixando de ensinar a criança no caminho em que deve andar, de modo que quando já crescida viram adolescentes facilmente seduzidos pelo mundo “fácil” do crime. Some-se a issoa a nossa equivocada legislação, que trata esses infantes como seres sem discernimento, quando o assunto é o comentimento de ilícitos. Há uma concorrência de fatores nessa seara.

    Reply
  6. Roberto Theodosio Brandão

    Concordo com o comentário do leitor Jonas Antônio de Freitas. Os menores infratores são 1.000 vezes mais perigosos que os criminosos comuns e são mais covardes, malvados e sádicos. Já não basta roubar um simples celular ou um carro e tem que HUMILHAR e fazer sofrer uma pessoa rendida e apavorada. O outro lado é saber que pelo fato de ser menor de idade NADA vai acontecer com ele ao menos que o agredido depois com o caso “esquecido” pegue o marginal e mande ele para o inferno. Não acredito em RESOCIALIZAÇÂO, não acredito em sistema penitenciário que não coloca presos para trabalhar (como nas prisões privadas dos Estados Unidos),
    não acredito em sistema de segurança pública sem comando e sem pulso. Com todas estas deficiências os MENORES e MAIORES formam grupos fortes nas cadeias com poder da vida e da morte além de financeiramente com superioridade junto aos governos e com poderes de ditar as normas que convém a organização criminosa. O cidadão comum vai ter que se conformar com a PENA DE MORTE que lhes foi imposta está em vigência patrocinada pelo Governo Federal autor da Lei do Desarmamento. Vai faltar jovens para tocar o Brasil para frente pois a matança se inicia por eles. De 12 aos 25 anos estão sendo sumariamente eliminados. Esta Nação tem tudo para falir e ser riscada do mapa. Outros Países estão de olho no Brasil.

    Reply
  7. André Carvalho

    Tendo em vista a mudança do comportamento desses delinquentes, os governantes bananas tem que fazer acontecer aquela velha receita, eliminação da praga bandido.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *