SOLDADO DESCONHECIDO
   Flávio  Saraiva  │     5 de dezembro de 2013   │     7:00  │  14

SOLDADO DESCONHECIDONa manhã de sexta-feira 23/11/2013, dois supostos assaltantes foram assassinados na frente de uma agência bancária na Avenida Fernandes Lima, parando o já congestionado trânsito naquela via. Os supostos criminosos tentavam roubar um cliente que saía com dinheiro do banco, modalidade criminosa denominada de saidinha. A tentativa criminosa fora impedida por um policial militar, de identidade até hoje desconhecida, ou não revelada pelos condutores das investigações. Vamos chamá-lo de Soldado Desconhecido, até porque é a denominação que compreende todas as patentes na hierarquia militar.

As vítimas Robson Alexandre Silva do Nascimento e Maxwell Gomes da Silva já haviam sido presos por prática de crimes de porte ilegal de arma de fogo, roubo, tráfico de entorpecente e formação de quadrilha, mas gozavam do instituto de progressão da pena, que  permitira a passagem do sistema direto para o aberto, em face da inexistência do semiaberto em Alagoas.  Conduziam motocicleta produto de roubo e portavam arma de fogo do tipo pistola roubada de policial militar.

As circunstâncias da ocorrência policial poderiam levar ao reconhecimento da ação do Soldado Desconhecido como ato de bravura, não por ter matado dois supostos assaltantes, mas por ter a coragem de ter impedido o roubo tentado que vitimaria o inocente correntista. O bravo soldado, cumprindo procedimento operacional, acionou patrulhas de sua corporação para atendimento à ocorrência e saíra do local sem identificar-se, não tivera a coragem de esperar para ser questionado pelo seu ato por quem, na frieza depois do ocorrido, formularia quesitos que poderiam transformar a legítima reação em execução.

Passei por isso, quando reagi atirando em assaltantes que conduziam como refém um militar que saía com revólver encostado em sua cabeça, após assalto ao restaurante em que fazia segurança, um bico, para complementar a renda. Assim como o Soldado Desconhecido, tive sorte, atirei primeiro, e essa fora a primeira pergunta feita por uma jornalista que ali chegara mais rápido que a polícia.

O mundo homenageia seus bravos guerreiros mortos em combate com a construção do túmulo do Soldado Desconhecido, não raro transformado em local de glorificação. Aqui, o soldado morto em combate vira mero desconhecido; se mata em ação, corre o risco de ser conhecido injustiçado. Talvez por isso, o nosso soldado continue desconhecido.

Tags:,

>Link  

COMENTÁRIOS
14

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Gilberto Liberal

    Espero que este bravo soldado continue desconhecido, evitando, desta forma, a sanha justiceira dos hipócritas de plantão, daqueles que buscam os holofotes a qualquer preço, não importando o prejuízo que causam àqueles que arriscam suas vidas em defesa da sociedade.

    Reply
  2. Roberto Theodosio Brandão

    Poder de decisão, iniciativa e outros fatores anteciparam o desfecho e foi fundamental mesmo o “fator surpresa” do atirador. Os assaltantes não contavam nunca com esta reação pois em geral o “fator surpresa” vem do agressor pronto para tudo. As coisas inverteram no caso.
    Este atirador é experiente e técnico e vai ficar no anonimato para sempre para tristeza da HIPOCRISÍA dos defensores dos “direitos humanos” que fariam uma festa no entorno desta ocorrência. Deus sabe o que faz. Atire primeiro.

    Reply
  3. André Carvalho

    Que esse bravo e preparado soldado continue desconhecido, para não cair nas garras do MP ( Ministerio perseguidor). Principalmente de policial.

    Reply
  4. Lucimerio Campos

    Espero que sejam formados muitos outros Soldados Desconhecidos. Abnegados, não resistem quando instados a agir para salvar a vida do cidadão de bem e/ou a sua própria. Sim, o policial também tem o direito de defender a sua vida! Precisamos de mais promotores e juízes “desconhecidos”, que reconheçam não apenas o ato de bravura, mas usem a sensibilidade para livrar da justiça criminal aquele que arrisca sua vida em prol do outro.

    Reply
  5. PM DA ATIVA EM ALAGOAS

    É POR DEMAIS DIGNO SEU TEXTO. ASSIM AMBEM FOI O A AÇÃO DO NOSSO COLEGA. NÃO SEI SE TERIA A DESTREZA DELE. MAS ACHO QUE O MOMENTO É QUEM DECIDE. MAS QUANTO AO DESCONHECIMENTO DO PM SE DAR PQ TEMOS UM CONSEG QUE SÓ FAZ NOS PERSGUIR QUANDO REALIZAMOS ATOS DE BRAVURA, NO QUAL ELES TRANSFORMAM-NOS EM ASSASSINOS E NOS MANDA PRA CADEIA. JÁ VI VARIOS COMPANHEIROS COMENTAREM ASSIM.

    Reply
  6. santos

    Soldado que não tem rosto,mais rapido no gatilho não se esquivou de seu juramento mais torço pra esses soldados assim como foram nossos herois de infância continue desconhecidos.

    Reply
  7. Luiz Alfredo

    Graças ao coitadismo de terroristas ,sequestradores e assaltantes de banco que se dizem torturados e humilhados pela polícia hoje um policial é visto como um assassino em potencial e com toda essa utopia do desarmamento foi criada a cultura do entreguismo onde especialistas diziam:Vão-se os anéis e ficam os dedos,não reajam…jamais….Só que graças as drogas e toda proteção e inversão de valores implantada na sociedade nossas vidas não tem valor nas mãos desses bandidos e sendo assim Bandido que atira pra matar tem que levar tiro pra morrer mesmo.
    Senhores invistam no treinamento de tiro pois estou exausto de ver policial morrendo e bandido com tirinho na canela.

    Reply
  8. Jorge Coutinho

    O MEDO BATEU Á PORTA. A FÉ ABRIU. NÃO TINHA NINGUEM!

    Continue assim. Que a sua fé transforme em convicções as incertezas daqueles que lutam nesta luta desigual e desestruturada da Segurança Pública.

    Parabéns.

    A sociedade no futuro terá muito que lhe agradecer.

    Jorge Coutinho

    Reply
  9. Evandro

    É, infelizmente acredito que o único lugar do planeta terra que desde a mídia até o judiciário passando pelo MP, transforma qualquer ato de defesa em execução, que o diga os comentários de qualquer matéria versando sobre ocorrência policial em que o bandido morre, no 3º 4º comentário tem um hipócrita lá escrevendo:” …está cheirando a execução, deve ser investigado…”, o povo que tem uma cultura dessas merece uma violência pior do que a atual! belo texto!

    Reply
  10. jonas antonio de freitas

    Parabéns, soldado desconhecido, é assim que tem que agir, oxalá, gostaria que todos os cidadão Brasileiros e Brasileira, fossem treinados para agir conforme a situação…

    Reply
  11. Paulo mendes

    Insigne Soldado Desconhecido,
    Continue desconhecido e serás conhecido pelo uso do dever de ofício que lhe é imposto e pelo desconhecido nome. Caso contrário, serás conhecido pelos conhecidos algozes da SDS, que estavam ávidos em conhece-lo e puní-lo, usando todo tipo de investigação e informação, para apurar dois conhecidos crimes de suposta execução na Fernandes Lima. Mas,sabem porque o conhecido secretário não o promove por ato de bravura, por que ele é leniente com a bandalheira que se instalou na insegura Alagoas e, se fizesse algo, era para puni-lo. Por isso, oxalá que ele jamais o conheça, soldado desconhecido

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *