TURISMO E SEGURANÇA
   Flávio  Saraiva  │     20 de novembro de 2013   │     7:00  │  6

Turismo e SegurançaA Gazeta de Alagoas de 17/11/13 dá números à importância do segmento turismo no Produto Interno Bruto (PIB) local, movimentando mais de R$ 2 bilhões por ano. Conversando com um empresário, preocupado, ele afirmara que o turismo é a última e única alternativa economicamente viável para o Estado de Alagoas, argumentado na atual crise da agroindústria canavieira e as oportunidades perdidas com a exploração do salgema e gás natural. A preocupação do empreendedor é com relação à segurança e infraestrutura ofertada pelo Estado.

Bonito por natureza, Alagoas, parece não cuidar muito do privilégio. As lagoas que deram origem ao nome, antes consideradas dos hectares mais produtivos do mundo, servem como depósito sanitário, margeadas por complexos habitacionais de baixa renda, muitos deles com grande incidência de crimes. Em qualquer lugar do mundo seria espaço valorizado, com marinas e construções arrojadas, além de continuar ofertando o sustento às comunidades de pescadores que ali primeiro habitaram.

Os visitantes que chegam em cruzeiros e se aventuram a passear pela orla marítima logo tem contato com cenários de insegurança; seguindo na direção da Praia da Avenida, passam pela favela do Jaraguá e se tiverem a curiosidade em conhecer a belíssima sede da Associação Comercial, vão se deparar com grupo de craqueiros drogados pedindo esmolas. Se a opção for a Praia de Pajuçara serão recebidos pelos mesmos recepcionistas usuários de drogas; à noite, ainda poderão sofrer o assédio de prostitutas e travestis.

Os canteiros da Praia de Ponta Verde são tomados pelos integrantes do  grupo receptivo; nos primeiros raios do sol estarão dormindo enrolados em farrapos e acordam para esmolar, não sem antes deixar suas obras fecais e urinárias onde bem quiserem. O mesmo quadro se repete em outros pontos turísticos, transmitindo ao visitante a sensação de insegurança, fator decisivo na escolha do destino turístico.

>Link  

COMENTÁRIOS
6

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Roberto Theodosio Brandão

    O empresário que falou no turismo como nossa última alternativa viável econômica está coberto de razão e devíamos olhar com mais cuidado esta nossa fonte de riqueza. São 2.000 a 3.000 passageiros em cada transatlântico e uma fonte de renda para o Estado de Alagoas. Segurança no setor turístico é parte do sistema.
    No Chile temos uma Marinha de Guerra das mais sofisticadas do mundo.Porque? Para fiscalizar e proteger a sua maior riqueza que é o SALMÃO. Vale a pena investir pesado onde temos potencial para gerar riquezas que no caso de Alagoas é o turismo explorado de forma meio amadora e carente de profissionais. É a nossa última cartada. Em tempo: Em Aracajú,SE temos uma delegacia especializada em atender o setor turístico.Fica na orla na praia de Atalaia. Vamos fazer o mesmo?

    Reply
  2. oportunistas

    SARAIVA, O TURISMO NÃO ANDA SEQUER A CONTENTO EM ALAGOAS, DEVIDO AOS SEUS GESTORES – MUNICÍPIO E ESTADO -, SEREM PESSOAS QUE DELE NADA ENTENDEM,POIS FAZEM DA POLÍTICA, A CORRIDA PELO CARGO. NO MUNICÍPIO, A ATUAL GESTORA, NÃO ME INTERESSA QUEM SEJA, PULOU DO GALHO LOGO QUE SENTIU QUE O CANDIDATO DA OPOSIÇÃO NÃO TERIA CHANCE, SE MOSTRANDO OPORTUNISTA. ACHO QUE DE TURISMO, ELA SÓ ENTENDE DO VLOR DA MESADA, MUITO BOA, POR SINAL. A GESTORA DO ESTADO, AO QUE PARECE, É PEÇA MORTA, POIS NEM NO NOME DELA SE FALA. DE TURISMO, ELA SÓ SABE QUE USA O CARTÃO DA CAIXA PARA PEGAR O SALÁRIO. POR ISSO, APESAR DAS NOSSAS RIQUEZAS, NOSSO TURISMO MORRE Á MÍNGUA. UM ABRAÇO, DO LS.

    Reply
  3. WELLINGTON

    PARABÉNS FLÁVIO SARAIVA PELO SEU BRILHANTE TRABALHO,HOJE CONSIDERADO UM DOS MELHORES DELEGADOS DA POLICIA CIVIL E AGORA ARTICULISTA DO JORNAL GAZETA.

    Reply
  4. Paulo Marques

    Enfim, podemos ler algo por parte de quem entende de segurança pública. Muito embora, o valor e préstimos inestimáveis oferecidos à população alagoana, são insuficientes para que a cúpula da SDS o coloque em função estratégica. Pelo contrário, um bocado de concurseiros, sem vocação e experiência, assume direção de diversos departamentos.Eles, tem que começar a tirar plantões e trabalhar no interior para, depois, assumirem cargos de direção. Não que fosse a solução para o desmantelo que está, mas, que muito contribui para este estado de abandono e inércia na segurança do nossa querida Alagoas, ninguém duvida!!!

    Reply
  5. quero ve-lo lá

    flávio, competencia voce tem até demais. sabe tudo em matéria de policia judiciária. um dia, de4sejo ve-lo no comando da PC. repito que competencia voce tem.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *