Cabeça branca
   Flávio  Saraiva  │     13 de novembro de 2013   │     7:11  │  12

cabeca-brancaNotícias sobre a violência em Alagoas, divulgadas nos portais eletrônicos, vêm sempre acompanhadas de comentários que, em grande número, cobram a volta do Coronel Amaral ao comando da segurança pública. A argumentação dos internautas é de que o Cabeça Branca, como alguns se referem ao mítico ex-secretário, era linha dura contra os bandidos, característica admitida por ele na entrevista que concedera à Gazeta de Alagoas em maio de 2011, então com 83 anos de idade e bastante lúcido para afirmar que o estado falhara no processo de valorização dos recursos humanos, lembrando que nunca se furtara em defender seus comandados policiais.

Coronel reformado do Exército Brasileiro, José de Azevedo Amaral, afirmara que só assumia o comando da segurança pública do Estado com carta branca dada pelo governador, condição que lhe permitia maiores investimentos em equipamentos e nos recursos humanos. Guardadas as proporções, nunca se investiu tanto em segurança pública.

É bem verdade que os tempos são outros, na década de 80 a polícia prendia para investigar e havia a chamada prisão correcional. De lá pra cá muita coisa mudou, principalmente depois da Constituição de 1988, assegurando aos cidadãos direitos antes negados pelo período da ditadura militar. Como em todo processo dialético, à tese da negação de plenos direitos ao cidadão surgira a antítese da plenitude da liberdade e, por consequência, menos poderes aos órgãos repressores representados pela censura, instituições militares e policiais.

Encontrei com um amigo policial, ativo àquela época, que certa vez vestia uma camiseta na qual se destacava a afirmação que provoca muitas discussões: primeiro os humanos direitos, depois os direitos humanos.

>Link  

COMENTÁRIOS
12

A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria. Comentários com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blogueiro.

  1. Jodivaldo

    Caro Dr. Flávio Saraiva,

    Parabéns pelos seus comentários, ao mesmo tempo quero parabenizar O PORTAL GAZETA por esta sábia aquisição. Quem ganha com isto é a nossa sociedade que anda tão carente de pessoas como o senhor. Bem falando desta matéria… na época em que o Coronel Amaral administrava com as mãos de ferro a nossa Segurança Publica a realidade das estatísticas criminais eram outras. A cada 01 cidadão morto por um bandido, pelo menos 100 tombavam crivados de balas… e hoje??? bem, a história é diferente, os papeis se inverteram… a cada 100 cidadãos mortos por bandidos, apenas 01 é morto por próprios bandidos ou por vingança ou troca de tiros com a Policia… Bem, depois que os direitos humanos entraram no jogo, nunca mais vencemos uma parada. Mesmo assim, tenho esperanças que a realidade criminal em nosso Estado seja mudada.

    Reply
  2. Roberto Theodosio Brandão

    Delegado Flavio Saraiva sua presença neste blog vem fortalecer nossas esperanças na humanidade. Parabéns! Do tempo do nosso querido chefe Coronel Amaral mudou muita coisa inclusive (o que foi pior) a Constituição Federal tornando a vida dos brasileiros cheia de DIREITOS e poucos DEVERES. Com nossas Polícias com os pés e mãos amarrados pouco se pode fazer. A Polícia em Alagoas está trabalhando muito principalmente a Judiciária porém infelizmente as organizações criminosas arrumam um modo de burlar seus efeitos. Os criminosos além de roubar agora MATAM o cidadão que produz riquezas. Isto é ruim para o Brasil. Acho que em breve estaremos num Estado de anarquia como querem muitos. O Coronel Amaral é bem-vindo em qualquer instante da vida alagoana e principalmente agora que saímos para trabalhar e não temos certeza se voltamos para nossa casa. Boa sorte ao senhor e ao Cel.Amaral e vida longa para todos.

    Reply
  3. Sidney Tenório

    Parabéns pelo blog, Dr. Flávio Saraiva, é importante que um delegado tão experiente possa fazer relatos de sua experiência na área da Segurança Pública e dar dicas aos alagoanos sobre como se defenderem para não se tornarem vítimas da criminalidade. No mais, bem vindo ao mundo do webjornalismo.

    Reply
  4. Daniel

    Quem colaborou com a criação da CF88 sofreu muito com o militarismo e acharam que era ora de reverter a situação e tirar o poder dos Estado e coloca-las nas mãos dos bandidos. assim a vida é melhor, o cidadão preso em sua propria casa, quando antes poderiamos deixar as portas abertas e nada lhe era subtraido.

    Reply
  5. erisvaldo souza

    Parabéns Flávio Saraiva. Vai contribuir muito com a sociedade. Só mude a cor dos comentários pois não estão aparecendo na tela do computador pelo contraste do pano de fundo.

    Reply
  6. CAP ROCHA LIMA

    CEL AMARAL HOMEM RESPEITADO NA AREA DE SEGURANÇA PUBLICA,CONTUDO, O DESTEMIDO CORONEL JA CUMPRIU A MISSAO,NOS POLICIAIS MILITARES E CIVIS TEMOS GRANDES HOMENS NAS POLICIAS CIVIL E MILITAR PARA COMANDAR A SEGURANÇA DO NOSSO ESTADO,PORTANTO, A ESCOLHA DO NOME NAO TEM CRITERIOS E AI ESCOLHEM O NOME ERRADO E A COISA PUBLICA FICA FRAGILIZADA E ENGESSADA. QUEM SABE UM NOVO NOME SALVARIA A PATRIA;EX DEL FLAVIO SARAIVA,DEL VALDIR,DEL NILSON ALCANTARA,CEL COUTINHO,DR ALFREDO GASPAR. POIS E OS ALAGOANOS QUEREM MUDANÇAS NA SEDS,QUE DEUS NOS ILUMINE.

    Reply
  7. Luiz Lima

    A escolha de nomes, por si só, não resolve o problema que é mais amplo, envolvendo, em primeiro lugar o compromisso de governo em pôr o problema como prioridade. Daí advêm as consequências positivas, aliando à escolha de gestores eficientes. Cabe lembrar que as iniciativas de natureza preventivas têm uma grande importância no contexto.

    Reply
  8. MARCOS

    Além da escolha de pessoas certas para o comando da Segurança, precisamos também de mudanças drásticas nas Leis e no Sistema Prisional, ao invés de construirem Presídios que parecem mais balneários para abrigar marginais, deviam sim, criar Colônias Penais com trabalhos em tempo integral, para assim presos produzirem seus sustentos e os governantes deixarem de superfaturar despesas com marginais e passarem a investir em educação como forma preventiva para que não surjam tantos Marginais.

    Reply
  9. Pedro Lima

    Prezado Delegado,
    Morei em Maceió durante o período do cel. Amaral. Se não me falha a memória, ainda existem milhares de inquéritos que nunca foram identificadas as vítimas. A função da Polícia eh investigar e prender quando necessário for e não executar. Não vivemos mais na época do velho oeste americano onde se matava a troco de nada. Não eh uma pessoa q vai fazer o “milagre” de melhorar a segurança pública mas sim uma série de medidas inclusive incluindo todos os seguimentos da sociedade p solução. Morei em Nova York durante o antes e depois do Guiliane, e acredite, era uma guerra cível. O q ele fez foi a tolerância zero aplicando as leis q já estavam escritas não virando um Rambo e sair atirando em todos q a seu ver estavam “fora” da lei. A polícia prende e a justiça e sociedade condena ou absolve. Todos são inocentes até q se prove ao contrário. Eh assim que uma sociedade civilizada cresce e amadurece.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *